Old Dragon: O Templo do Rei Lagarto

Atualização: Foi gerado um PDF dessa aventura, disponível nesse post.

Esta aventura foi baseada no CD do First Quest: A Primeira Missão, kit introdutório ao AD&D lançado pela Abril Jovem em 1995. Na primeira, segunda e terceira faixas, era mostrado do ponto de vista dos personagens e dos jogadores um grupo jogando AD&D pela primeira vez, invadindo o Templo do Rei Lagarto.

Uma pena que a aventura nunca existiu oficialmente, nem encontrei ninguém que tenha feito uma baseada nela. Tomei então a tarefa de esboçar uma aventura baseada nessas trilhas. Há muitos pontos que foram deixados para o mestre preencher, como por exemplo o mapa da ilha e quais outros perigos ou locais de interesse lá existem e os desdobramentos após desbravar o Templo do Rei Lagarto.

Atenção! Se você pretende jogar essa aventura, pare de ler imediatamente! Apenas aqueles que pretendem mestrar devem continuar. Sua diversão e a dos outros jogadores pode ser estragada se decidir permenecer lendo. Essa aventura necessita do  Manual de Regras Básicas. O Bestiário de Old Dragon é recomendado para as estatísticas atualizadas dos monstros.

Prólogo

Contam os viajantes que nas enevoadas ilhas do sul viveu um povo bárbaro que cultuava o Rei Lagarto. Poucos foram os que viram seu templo e sobreviveram. As histórias falam de canibalismo e feitiçaria, mas também mencionam as riquezas da ilha. Lorde Easterling liderou alguns homens e mulheres, bravos ou tolos, em busca dessas míticas ilhas. Porém, ainda não retornaram.

Vocês foram contratados para descobrir o que aconteceu com Lorde Easterling e, no pior dos casos, trazer seu corpo para ser enterrado na civilização.

Chegada na ilha

Quando chegam na ilha, a primeira cena que vêem é uma vila na praia com em torno de 15 cabanas de palha. Porém, é possível ver que os habitantes foram massacrados. Há muitos corpos, cortados com espadas e perfurados por flechas. Alguns apresentam o crânio esmagado por golpe de maça. Homens, mulheres e crianças estão entre os cadáveres. Apenas 4 corpos são de homens da civilização, portando armaduras de couro e espadas curtas. Podem ser identificados como mercenários que seguiram Lorde Easterling.

Um teste de Inteligência pode fornecer detalhes sobre os ferimentos nos cadáveres, mostrando que os habitantes procuravam se defender e que os ferimentos nos mercenários são de armas simples, como machados e porretes. Caso os aventureiros tenham meios para rastrear, é possível ver várias pegadas indo em direção ao centro da ilha. Entre as pegadas, é possível discernir botas e pés descalços.

A trilha de pegadas leva a uma selva que logo dá lugar a um pântano enevoado. Aventureiros que tenham boa visão conseguem delimitar a forma de uma pirâmide à distância no pântano.

Pântano

O pântano enevoado é difícil de navegar. As águas que o cobrem acabam apagando as pegadas e pouco se vê da trilha original. O que se pode seguir são as marcas de passada de pessoas pelo pântano, como galhos quebrados, pedaços de roupa agarrados na vegetação e uma ocasional marca de sangue. Personagens que passem em algum teste para rastrear têm uma noção de que estão seguindo uma trilha. Porém, não sabem que a trilha se dividiu.

O mestre pode decidir rolar encontro aleatório cada hora andando no pântano. No caso de um encontro, use a tabela a seguir.

2d6 Encontro
2 Homens-Lagarto (2d4)
3 – 4 Zumbis (1d4)
5 – 9 Ratos (2d6)
10 – 11 Sapo Gigante (1d4)
12 Crocodilo (1)

Os ratos do pântano são uma espécie nativa da ilha. Diferentes dos ratos normais, eles não transmitem a doença normalmente transmitida pelos ratos. Sua febre se manifesta após algumas horas da mordida, causando penalidade de -2 nas jogadas de ataque e dano.

Os homens-lagarto são uma patrulha que atravessou o portal e acabou parando na ilha, sem terem sido invocados. Ao encontrarem os aventureiros, perceberão que não são os nativos e atacarão.

Eventualmente, será possível ver à distância na névoa a forma de uma pirâmide em degraus, como as pirâmides dos astecas. Seria esse o famoso Templo do Rei Lagarto?

O Templo do Rei Lagarto

Uma longa escadaria sobe a pirâmide até o topo, com uma pequena construção retangular com uma porta de pedra. Na pedra que compõe os degraus da pirâmide, pode-se notar figuras reptilianas. As inscrições formam desenhos entalhados na pedra, onde humanos ajoelham-se perante uma criatura similar a um homem-lagarto com uma coroa, ou seria uma crista?

templodoreilagarto-erivas

Cartografia por Erivaldo Fernandes da Silva

1 – Entrada

A porta está emperrada. É necessário um teste de Força para derrubá-la. Essa sala se mostra pequena e escura, com 6m de largura, 3m de comprimento e 3m de altura. Se ainda houver sol quando os aventureiros abrirem a porta ou portarem alguma iluminação, é possível discernir um buraco no meio da sala que dá para um fosso.

2- Fosso

O fosso tem 30m de profundidade e uma abertura de 1,5m por 1,5m. Aventureiros usando algum tipo de iluminação ou com visão no escuro, conseguem ver a 15m de profundidade uma passagem. No fim do fosso há 2 crocodilos (Bestiário, p. 15) em um túnel com água.

As paredes do fosso são escorregadias, dificultando a descida de um ladrão e só tornando possível a descida de outros personagens com corda. Ainda assim, é necessário fazer um tesde de Destreza para não escorregar e ter a chance de cair em cima dos crocodilos.

Caso desçam até o fim do fosso e enfrentem os crocodilos, podem seguir o túnel. O túnel tem uma largura um pouco maior que 3m e uma altura de 2m. Ambas as direções voltam para o pântano, em saídas cobertas pela vegetação.

3 – Corredor principal

O longo corredor tem 3m de largura e uma suave inclinação para baixo. Nas paredes há desenhos mostrando sacrifícios humanos para homens-lagarto. Mais ou menos na metade do corredor, há uma armadilha. Um ladrão ou aventureiro experiente pode notar furos na parede, disfarçados nos desenhos. O gatilho é um ladrilho no corredor, que aperta uma placa de pressão e dispara os dados com um leve atraso. Cada dardo ataca com +4 e causa 1d3 pontos de dano. Uma seção de 9m do corredor é coberta pela armadilha. Basta andar agachado para não ser atingido pelos dardos. O corredor termina em um arco de pedra que dá para a sala 4.

4 – Salão central

Um salão circular com 15m de diâmetro com 3 portas: a de entrada e duas a 60º dessa. À frente da entrada já uma escada para o andar superior, onde há um trono de pedra. Tochas iluminam essa sala, cujo formato lembra uma arena.

Quando entram, os aventureiros vêem um velho sentado no trono. Ele é o último rei-sacerdote de Tetistuan e estava esperando o grupo. Sua leitura das estrelas disse que viriam.

Quando perguntado de Lorde Easterling, ele dirá que sabe sua localização, mas que deveriam se mostrar merecedores da informação, passando por 3 provas. Primeiro, a prova de combate. Após revelar a primeira prova, as portas laterais se abrem e 1 homem-lagarto para cada personagem invade o salão.

Vencido o combate, o rei-sacerdote dirá para trazerem um dente de lagarto de cada outra prova: a prova de sagacidade, do corredor à direita da entrada; a prova de agilidade, do corredor à esquerda da entrada.

Desenvolvimento

Quando os personagens trouxerem os dentes de lagarto, o rei-sacerdote os parabenizará e lhes revelará que Lorde Easterling procurou dominar os nativos assim que chegou na ilha. Na luta contra os guerreiros, o rei-sacerdote e seus asseclas foram forçados a se refugiar no templo e Lorde Easterling dominou o povo no outro lado da ilha, governando como um tirano e escravizando os habitantes para extraírem pedras preciosas das minas.

O rei-sacerdote viu nas estrelas que estrangeiros viriam para salvar o povo do invasor, mas precisariam ser testados nas provas do templo.

O rei-sacerdote fornecerá informações sobre a vila do outro lado da ilha e os avisará de que Lorde Easterling pode estar perto de invocar o Rei Lagarto por engano, acreditando que as oferendas eram para agradá-lo ao invés de afastá-lo.

Após dar as informações, o corpo do rei-sacerdote sublima. Seu corpo era uma manifestação física de sua alma. Outras tochas se acenderão, iluminando por completo o salão. Será possível ver então a passagem atrás do trono que leva para a sala 9.

homem-lagarto-erivas

Homem-Lagarto por Erivaldo “Erivas” Fernandes da Silva

5 – Corredor

Esse corredor descreve um arco para a direita, abrindo-se em um corredor mais largo. Uma armadilha de fosso está a poucos metros da porta, cobrindo uma área de 3m². O fosso é um queda de 6m, causando 2d6 pontos de dano. A porta para a sala 6 está trancada, podendo ser derrubada com um teste de Força ou destrancada por um ladrão.

Nas paredes desse corredor, estão desenhadas figuras que descrevem um ritual de imolação de tesouros, onde uma nuvem parece desaparecer em uma pira quando presentes rituais são jogados ao fogo.

6 – A prova de sagacidade

Quando entram nessa sala de 9m de largura por 9m de comprimento, uma pira no colo de uma estátua se acende, iluminando a sala e a estátua. A estátua tem a figura de um demônio gordo e chifrudo sentado, segurando a pira em seu colo. Duas pedras preciosas brilham nos olhos da estátua.

É possível detectar uma armadilha associada com as pedras. Quando removidas, as portas se fecham e um gás preenche a sala (ver a magia Névoa Fétida, Manual de Regras Básicas, p. 93). As portas secretas se abrem e 4 homens-lagarto esqueletos atacam (ver seção Monstros).

Jogar uma das pedras no fogo faz com que o fogo queime com uma luz azul e absorva a fumaça, apagando-se em seguida. Nada restará da pedra além das cinzas da pira. A pedra com um dente de lagarto dentro deixara o mesmo nas cinzas que restarem.

7 – Escadas

Um total de 3 andares de escadas em espiral levam mais a dentro no templo.

8 – A prova de agilidade

Esta sala de 15m de largura por 18m de comprimento tem o chão quadriculado. Um teste de Reconhecer Armadilhas indica que há algo de errado com o chão. Uma investigação mostra que as pedras têm um odor acre. É possível ver que do outro lado da sala, na parede, há uma figura em relevo do Rei Lagarto sentado em seu trono, sendo reverenciado por humanos.

Quando a primeira pedra for pisada, as pedras começam a descer, revelando uma piscina ácida. Navegar entre as pedras seguras até a plataforma que se formou ao redor da figura do Rei Lagarto exige um teste de Destreza. Falhar por 5 pontos ou mais significa que o personagem caiu no ácido (Manual de Regras Básicas, p. 65). Sair é mais difícil, uma Jogada de Proteção baseada em Destreza é necessária para subir na pedra, podendo ser auxiliado por outros aventureiros.

A plataforma contém uma passagem secreta, acionável pressionando a figura do Rei Lagarto no relevo da parede. Dentro da sala secreta há um dente de lagarto em um pedestal. Não há armadilhas no pedestal.

9 – Aposentos do rei-sacerdote

Atrás do trono onde estava o rei-sacerdote há um túnel que leva aos aposentos onde ele viveu seus últimos dias. A porta não está trancada nem há armadilhas protegendo o lugar. Há uma cama de palha, onde está o cadáver do rei-sacerdote, coberto por uma túnica fina. O cadáver não parece morto há muito tempo. Há um colar de ouro (200 peças de ouro) e uma coroa com penas em sua cabeça.

Nesta sala, uma porta secreta pode ser encontrada pressionando uma pedra na parede. Um túnel comprido, úmido e com muito limo. Leva-se meia hora para atravessá-lo. A saída se dá em uma parte do pântano, coberta por vinhas, de onde é possível ver a vila que o rei-sacerdote mencionou.

Desenvolvimento

Tendo saído do Templo do Rei Lagarto e descobrindo que Lorde Easterling na verdade é um tirano que subjugou o povo de Tetistuan para trabalhar para ele na extração de pedras preciosas das minas da ilha. Acreditando poder tomar para si a identificação de Rei Lagarto, Easterling e seus comparsas pretender enriquecer vendendo as pedras para piratas e aumentando a lenda da mortalidade da ilha e de seu Rei Lagarto.

Porém, é possível que Easterling esteja sendo manipulado por uma sacerdotiza que queira que o Rei Lagarto seja invocado para acabar com seus algozes, mesmo que ao custo de suas vidas. Mas para isso, Easterling precisaria da coroa de penas do último rei-sacerdote de Tetistuan. Lorde Easterling e seu grupo mercenário são descritos em outro post.

Como essa aventura se desenrolará? Fica a seu cargo continuá-la.

Monstros

Nessa sessão são apresentados os montros que não estão descritos no Manual de Regras Básicas ou no Bestiário, tendo sido modificados por algum modelo.

Homem-Lagarto Esqueleto

Tamanho Médio
Habitat Qualquer
Encontros 1d12
Prêmios Nenhum
XP 100
Movimento 6 metros
Moral 12

For 14 | Des 12 | Con 0
Int 0 | Sab 8 | Car 11

CA 13
JP 16
DV 2 (10/16)
Ataques: 1 tridente +3 (1d6+2)

Imunidades: homens-lagarto esqueletos são imunes a magias de enfeitiçar, sono, frio, medo, veneno e outros efeitos que necessitem de alvos vivos.

Corpo ósseo: um homem-lagarto esqueleto, quando atingido por armas de corte ou de perfuração, sofre apenas metade do dano causado.

Obstinado: homens-lagarto esqueleto derrotados se recompõe inteiramente após 1d6 dias, a não ser que seus ossos sejam totalmente destruídos ou queimados.

homem-lagarto-esqueleto

Homem-Lagarto Esqueleto por João Gabriel Guimarães

Rei Lagarto

O Rei Lagarto é uma versão maior e mais brutal do homem-lagarto comum. É o macho alfa da tribo e geralmente possui ligações demoníacas com as entidades a quem os homens-lagarto servem.

O Rei Lagarto de Tetistuan fica em outro plano de existência, sendo invocado a esse mundo quando o ritual correto é feito ou quando para de receber oferendas. Eventuais homens-lagarto encontrados na aventura pertencem ao plano de onde o Rei Lagarto pode ser invocado.

Esse Rei Lagarto foi criado com os modelos Demoníaco, Brutal e Elite.

Tamanho Grande
Habitat Pântano
Encontros 1
Prêmios Nenhum
XP 495
Movimento 9 metros
Moral 11

For 18 | Des 14 | Con 12
Int 10 | Sab 8 | Car 11

CA 15
JP 16 (+2 Des, +5 Con, -1 Sab)
Resistências: Fogo 2/-, Gelo 2/-
RD: 1/Magia
RM: 5%
DV 5 (75)
Ataques: 1 lança +5 (1d6+4)  (Aumente o dano em 30% por ser Elite)

Anúncios

4 comentários sobre “Old Dragon: O Templo do Rei Lagarto

  1. Camarada, eu também fiz uma. E diferente de ti, não procurei nenhuma aventura oficial, simplesmente fiz. Em outra oportunidade eu publico, ela possui cinco cenas, não é numa ilha e se emenda em uma campanha rsrsrs. Mas assim o melhor, é a exploração do templo que possui três níveis e ele está imergindo no Pântano dos Lagartos, e o nome do Rei Lagarto é Tetztuan.

    Curtir

    • Po Gabriel, bacana! Vê se publica sim, que quero ver como cada pessoa imaginou o Templo do Rei Lagarto.

      O nome pra mim era uma incógnita, tanto a versão nacional quanto a versão americana pronunciavam Tetistuan, a sua grafia Tetztuan parece mais correta. Em determinado momento eu tinha escrito Tetztuchlan, mas achei que afastava muito da pronúncia do CD.

      Depois manda o link da sua versão =)

      Obrigado por comentar e acompanhe o Minas de Sal.

      Curtir

  2. Pingback: Old Dragon: Lorde Easterling e os Raposas Vermelhas | As Minas de Sal de Zanzer Tem

  3. Pingback: Old Dragon: O Templo do Rei Lagarto (PDF) | As Minas de Sal de Zanzer Tem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s